Pingüim

 

Rosani Abou Adal

Não chore pingüim

Não chore,

Seu pranto despoluente

Não salvará o mar.

Boiando sobre o óleo diesel

Suas águas, sem esperanças,

Ainda sobrevivem.

Não chore pingüim

Não tenha medo

A quimioterapia curará

Sua metástase.

Ficará sem cabelo,

Vomitará petróleo

Do último vazamento.

Durma pingüim

O sono será sua fuga.

Sem resistência e força

Não suportará o enterro

Dos seus irmãos.

Não chore pingüim

Não tenha medo.

Feche os olhos,

Encoste a cabeça

No ombro da paz

E durma.

Durma

Profundamente, pingüim...

Profundamente.

 

DE CORPO E VERDE

 

 

Rosani Abou Adal

 

Incendeie minha floresta

de cabelos negros

Reproduza paisagens e ideogramas

em meu deserto purpúreo

Plante uma flor na mãe-do-corpo

Molhe minha mata

com lágrimas lubrificantes

Faça a colheita

e germine frutos

Envolva de verde

todo o meu o corpo e floresta adentro

 

Escreverei um poema

em tua tez

Minha língua esferográfica

digitará a primeira palavra

em teu órgão auditivo

Um soneto nascerá em teu abdome

Vírgulas reticências

e pontos de interrogação

serão traçados em teu jardim

Um ponto de exclamação

pousará suavemente

em tua selva

O verde e corpo

emoldurarão o poema e a paisagem

 
 
Semente

Rosani Abou Adal

Plantaram o verde

no coração da

Selva Metropolitana

Uma semente nasceu:

o homem

 

 

 
Express City

 

 

Rosani Abou Adal

 

Comes lingüiça de jornal,

cachorro podre,

o famoso hot-dog,

a tabela periódica

dos elementos químicos

conservantes das latas.

 

Para os filhos, cacau choco

soda cáustica com açúcar

Cárie nos dentes

orçamentos caros nos dentistas

mas não faz mal

deduzes do imposto de renda.

 

Bebes líquidos viciantes

é uma dependência física.

Eles desentopem o estômago

o intestino é um cano de esgoto.

 

Fumas carteiras de nicotina

para aliviar o stress

Tomas um xarope

o pulmão cinza combina

com o céu da cidade.

 

Rosani Abou Adal

Siga-me

  • Facebook Classic

© 2014 Rosani Abou Adal. Produzido e criado com Wix.com